Blog da Presto

Fique por dentro das novidades

Outubro Rosa – Mulheres na Indústria

Outubro Rosa é uma campanha anual realizada mundialmente em outubro, com a intenção de alertar a sociedade sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama.

De acordo com Instituto Nacional do Câncer (INCA), “Outubro Rosa foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. “

E como é um mês super importante, para conscientização de todas as pessoas e não somente as mulheres. Neste mês, nós da Presto, convidamos mulheres que atuam na Indústria e que integram a equipe Wtec, para falarem sobre essa questão e a importância do auto cuidado em suas vidas.

Serão 4 relatos, durante todo o mês do outubro rosa, com as mulheres na indústria. Acompanhe em nosso blog.

Outubro Rosa – Mulheres na Indústria – Ane Perondi:

E a primeira convidada, Anelise Perondi, 33 anos, casada, sem filhos, graduada em administração com habilitação em comércio exterior, pela URI. 

Atua na Wtec há 1 ano, no momento no Departamento de Logística. Realiza negociações de trechos, fretes, calcula rotas, viagens e todo processo relacionado a entrega de produtos Presto, Biccateca e Armários Inteligentes.

Anelise Perondi – Especialista em Logística

Ane, como gosta de ser chamada, fez um breve relato sobre a sua relação com o auto cuidado e sobre o que acredita:

Com a correria do dia a dia, de alguém que trabalha e estuda, muitas vezes esqueço e deixo passar oportunidades de fazer a autoanálise, para saber se está tudo bem, se não há nada de errado no meu corpo.

A preocupação maior, é em relação a minha mãe. Verifico como está, se fez exames regularmente.

E sobre mim, procuro anualmente fazer todos os exames, cuidar da minha saúde, evoluir, melhorar. O auto cuidado envolve muito além do autoexame, auto cuidado envolve auto estima, envolve saúde, alimentação, amizades em fazer o que nos faz bem.

Gostaria de compartilhar nesse momento, um fato que aconteceu na minha vida. O qual me ajudou a ver que a vida é um presente, é uma dádiva. E que não fazemos ideia do que cada dia reserva para nós:

Como sou uma pessoa que gosta muito de crianças, sempre me imaginei sendo mãe. Mas então o destino me “presentou” :

E em 2019, fiquei grávida, de forma planejada, mas como nada depende da gente, tive um aborto. Foi uma experiência muito curta com a maternidade. Mas, entendi que aquele não era o momento, foi muito difícil.

E em seguida, fui agraciada por um presente maravilhoso. Que me faz feliz, apenas com um super sorriso, através até mesmo das redes sociais. A minha pequena Sofia, minha afilhada e meu anjo.

Para Ane, ficou aprendizado:

“O autocuidado é saber que temos apenas uma vida, que essa é a única oportunidade que temos de realizar os nossos sonhos. De correr atrás do que amamos.

Nos rodear de pessoas que nos querem bem, que nos fazem bem. É cuidar da nossa saúde para poder compartilhar momentos com as pessoas que convivem ao nosso lado, porque penso que melhor do que ter é ser.”

Outubro Rosa – Mulheres na Indústria – Mary Helen Brasil Abbady:

E a segunda convidada, Mary Helen Brasil Abbady, 46 anos, casada, sem filhos, operadora de máquina.

Atua na Wtec há 1 ano, no Setor de Conformação. Onde realiza um processo mecânico, para obtenção de peças, através da compressão de metais sólidos em moldes. Para os produtos Presto, Biccateca e Armários Inteligentes.

Mary Helen Abbady – Operadora de Máquina

Mary nos contou um pouco sobre sua vida, seus sonhos e o quanto o auto cuidado se tornou importante:

Casada há 25 anos, nos contou que sempre teve o sonho de ter filhos, porém infelizmente, entre 2014 a 2015 Mary foi surpreendida com um câncer no útero:

“Não sentia nada, estava fazendo tratamento para engravidar. O médico me solicitou uns exames, esperava que podia estar grávida, porém fui diagnosticada com câncer no útero.”

Mary passou por todo o processo durante sua luta contra o câncer, realizou quimioterapia, radioterapia. E durante esse processo, foi informada que não poderia ser mãe:

“Nesse momento, perdi o chão, o mundo acabou pra mim. Eu achava que a minha vida, a parti dali, havia perdido todo o sentido.”

Um novo sentido:

Porém, com o passar do tempo, acompanhamento psicológico, que a ajudou muito, descobriu que ainda pode ser mãe:

“Posso ser mãe sim, ser mãe de coração. Então, nesse meio tempo, acabei me inscrevendo para o programa de adoção, fazem 5 anos que estou na fila de espera, aguardando meu filhote ou minha filhota…”

“Eu sei que vai vir, tudo tem seu tempo. Se tudo isso aconteceu comigo até hoje, então algo de bom ainda vai acontecer, algo vai me presentear e eu sinto isso.”

E além do câncer de útero, no mesmo período de seu tratamento, Mary perdeu o pai, que foi vítima de um câncer de próstata. E dois anos depois, em 2017, perdeu sua mãe para uma leucemia fulminante.


Foram muitos acontecimentos que poderiam levá-la a desistir, mas se manteve forte e com fé para ainda acreditar que as coisas boas virão:

“Não sei de onde tirei forças para superar tudo isso, pedi muito à Deus para me ajudar. Foram muitas perdas…”

“Quem me vê sorrindo e brincando, não imagina. Apenas estou conseguindo cuidar de todos os meus sentimentos e dores.”

“Me sinto muito feliz em saber que tenho muitos amigos e são estes amigos que me confortam, também preenchem os vazios que a vida me causou.”

Mary é muito grata por tudo que aconteceu, passou por experiências que não deseja pra ninguém e também deseja que todas as pessoas, se conscientizem:

“Gostaria que todas as mulheres se cuidassem. E a gente acha que pode deixar pra depois, mas não pode. Temos que achar um tempo pra nós, talvez se eu tivesse me cuidado antes e ido atrás, as coisas poderiam ser diferentes.”

Hoje, Mary se preocupa mais com sua saúde e com de outras pessoas também:

“Sempre falo pras meninas que querem ter filhos ou mesmo somente pra se cuidar, que se preparem, mentalmente, entre tudo. E não podemos achar que não temos nada, não espere. Se cuide!”

“Eu acredito muito em Deus e tenho muita fé, acredito na fé. “

“Em primeiro lugar temos que ter fé, se não tivermos fé, não conseguimos nada.

E em segundo lugar, acredito sim que Deus está me preparando, seja pra um filho ou o que vier.”

E por último, hoje estou preparada para tudo, o que for pra ser pra mim, vai ser.”

Continue acompanhando, Outubro Rosa – Mulheres na Indústria, clique e leia os dois últimos relatos destas histórias emocionantes, mulheres fortes e corajosas.

CATEGORIAS
  • Nenhuma categoria
  • Voltar